A Porta no Muro de H. G. Wells

Título: A Porta no Muro
Autor: H. G. Wells
Ano de Publicação: 1906
Editora: Wish
Gênero: Conto; Fantasia; Ficção
Páginas: 25

Em A Porta no Muro acompanhamos as memórias de Lionel Wallace, relatando ao amigo (narrador) que em sua infância encontrou uma porta verde em um muro branco que o levou a um jardim encantado. O personagem vivencia a mais pura felicidade ao descrever o jardim e seus acontecimentos, mas infelizmente nunca mais retorna ao tal lugar mágico. 

Havia algo no ar de lá que inspirava euforia, que dava uma sensação de leveza e coisas boas e bem estar; havia algo na visão que deixava todas as cores limpas e perfeitas e sutilmente luminosas. No momento em que entrou, o sentimento foi de uma felicidade intensa…

– A Porta no Muro, pág. 7

Sobre a porta no muro, há diversas vias de interpretação e não há um entendimento sobre o que de fato significa. Como o narrador revela podemos interpretar o relato como os delírios de um homem que busca um escape para a realidade em que vive, a vida do cotidiano de cobranças, prazos e expectativas da sociedade. 

Também podemos idealizar que a porta de fato existe e todo o jardim e belezas descritas são reais, tendo Lionel encontrado realmente a porta para a felicidade plena, como ele mesmo descreveu. Ainda há a idealização de que a porta seja uma metáfora para as oportunidades da vida, os caminhos que decidimos seguir e as escolhas que tomamos em nossa caminhada. 

O conto causa uma inquietação no leitor, que ao mesmo tempo fica ávido para saber mais e desconfiado da veracidade da história. H. G. Wells realmente nos leva à uma gama de concepções, e a imaginação pode rolar solta no que ele realmente quis sugerir sobre a porta e o jardim.

Eu pensei muito sobre o que a porta poderia significar, o que ela de fato representa. Mas, não há uma resposta correta, tendo cada leitor uma interpretação que pode seguir e pensar a respeito. 

Nota:

1 comentário em “A Porta no Muro de H. G. Wells”

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: